carregando...
Reflexão: Natal do Senhor (Missa do Dia)
 
Reflexão: Natal do Senhor (Missa do Dia)

“Rompei todas em brados de alegria”, “O teu Deus é Rei”. Neste dia de Natal a Igreja nos convida a refletir na pessoa do “Verbo que se fez carne”. É Deus que se rebaixa e assume nossa natureza humana para Salvar toda a humanidade a partir de nós, como nos diz Santo Agostinho: “Deus criou tudo sem nós, mas não quis nos salvar sem nós”. Assim o Verbo se encarna e conosco e a partir de nossa humanidade nos resgata da perdição eterna. Por isso temos que romper em brados de alegria, fomos achados dignos, pela misericórdia de Deus, de sermos resgatados de nossa negligência que levou toda a humanidade a morte eterna. Assim somos convidados a reconhecer e meditar sobre essa grande ação divina de provocou nossa salvação pela encarnação do Verbo.

Sim esta é a grande pergunta – Quem é o Menino Jesus? É isso que a liturgia vem nos dizer. E foi causa de tantas heresias nos primeiros séculos da Igreja. Na luta de explicar quem é Jesus, para dar maior sentido a nossa fé, muitos homens chegaram a conclusões das mais absurdas provocando divisão e caos na Igreja dos primeiros séculos, mas diante destas heresias o Senhor suscitava santos teólogos que com o impulso do Espírito Santo trazia a Igreja, a explicação da revelação deixada por Jesus. Mas no hoje de nossa história, após dois mil anos de caminhada, estas indagações, para nós, já é coisa do passado e cremos que Jesus é o nosso Senhor e Salvador. Mas muitos não são capazes de responder algumas questões relacionadas à Fé, como: Jesus é Deus e Homem? São duas pessoas? É Deus revestido de homem? É homem revestido de Deus? Como vemos podemos voltar às heresias do início da nossa História. O que nos falta é estudar melhor a nossa fé para podermos dar maior razão naquilo que cremos.

Por isso que a liturgia vem nos dizer que Jesus é o Verbo que se fez carne e na leitura de hebreus diz: “Nestes dias, que são os últimos, falou-nos por seu Filho, a quem fez herdeiro de todas as coisas e pelo qual também criou o universo. Sendo o Filho esplendor da sua glória e imagem da sua substância, tudo sustenta com a sua palavra poderosa”. (grifo nosso). Então cremos que Jesus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente Homem, 100% Deus e 100% homem, pois somente Deus poderia ter acesso a Deus para resgatar a humanidade decaída pelo pecado e somente um homem verdadeiramente homem “em tudo” como nos diz São Paulo: “Ele assumiu nossa condição humana em tudo, exceto no pecado”, poderia nos resgatar das trevas eternas. Por isso que a Igreja nos ensina conforme o Catecismo da Igreja Católica: “IV Concílio Ecumênico, em Calcedônia, confessou em 451: Na linha dos santos Padres, ensinamos unanimemente a confessar um só e mesmo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, o mesmo perfeito em divindade e perfeito em humanidade, o mesmo verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem, composto de uma alma racional e de um corpo, consubstancial ao Pai segundo a divindade, consubstancial a nós segundo a humanidade, "semelhante a nós em tudo, com exceção do pecado"; gerado do Pai antes de todos os séculos segundo a divindade, e nesses últimos dias, para nós e para nossa salvação, nascido da Virgem Maria, Mãe de Deus, segundo a humanidade. Um só e mesmo Cristo, Senhor, Filho Único, que devemos reconhecer em duas naturezas, sem confusão, sem mudanças, sem divisão, sem separação. A diferença das naturezas não é de modo algum suprimida por sua união, mas antes as propriedades de cada uma são salvaguardadas e reunidas em uma só pessoa e uma só hipóstase”. (CEC 467 a 469)

Assim nesta celebração do dia do Natal temos tudo para regozijar de alegria porque o Salvador está em nosso meio. Ele se abandonou nas mãos dos homens para ser um conosco e desta forma vemos um menino recém nascido, todo desprotegido nos brancos da Mãe, certamente que não é uma pessoa comum, mas toda especial, escolhida de forma singular por Deus Pai para gerar o Filho de Deus e agora carregá-lo, educá-lo e formá-lo para a vida.  Puxa! Veja bem! Estamos diante da glória dos céus e diante da glória na terra. Temos Deus encarnado e temos o maior exemplar de ser humano na terra – Maria. Temos ou não motivos para exultar de alegria!? Pois é, somos os mais felizes da face da terra por que por vontade divina foi nos revelado estas verdades que nos eleva a Alma e nos dá a vida no amor de Deus. Lutemos para evangelizar, levar estas verdades a outras pessoas para que conheçam o que celebramos e, talvez, num futuro, o mundo possa celebrar com mais consciência a festa do Natal.

Tenha um Santo Natal.

Antonio ComDeus


 

LEITURA II – Is 52,7-10

 

LEITURA DO LIVRO DE ISAÍAS

 

Como são belos sobre os montes

os pés do mensageiro que anuncia a paz,

que traz a boa nova, que proclama a salvação

e diz a Sião: «O teu Deus é Rei».

Eis o grito das tuas sentinelas que levantam a voz.

Todas juntam soltam brados de alegria,

porque vêem com os próprios olhos

o Senhor que volta para Sião.

Rompei todas em brados de alegria, ruínas de Jerusalém,

porque o Senhor consola o seu povo,

resgata Jerusalém.

O Senhor descobre o seu santo braço à vista de todas as nações

e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL – SALMO 97 (98)

 

Refrão: Todos os confins da terra

viram a salvação do nosso Deus.

 

Cantai ao Senhor um cântico novo

pelas maravilhas que Ele operou.

A sua mão e o seu santo braço

Lhe deram a vitória.

 

O Senhor deu a conhecer a salvação,

revelou aos olhos das nações a sua justiça.

Recordou-Se da sua bondade e fidelidade

em favor da casa de Israel.

 

Os confins da terra puderam ver

a salvação do nosso Deus.

Aclamai o Senhor, terra inteira,

exultai de alegria e cantai.

 

Cantai ao Senhor ao som da cítara,

ao som da cítara e da lira;

ao som da tuba e da trombeta,

aclamai o Senhor, nosso Rei.

 

LEITURA II – Heb 1,1-6

LEITURA DA EPÍSTOLA AOS HEBREUS

 

Muitas vezes e de muitos modos

falou Deus antigamente aos nossos pais, pelos Profetas.

Nestes dias, que são os últimos,

falou-nos por seu Filho,

a quem fez herdeiro de todas as coisas

e pelo qual também criou o universo.

Sendo o Filho esplendor da sua glória

e imagem da sua substância,

tudo sustenta com a sua palavra poderosa.

Depois de ter realizado a purificação dos pecados,

sentou-Se à direita da Majestade no alto dos Céus

e ficou tanto acima dos Anjos

quanto mais sublime que o deles

é o nome que recebeu em herança.

A qual dos Anjos, com efeito, disse Deus alguma vez:

«Tu és meu Filho, Eu hoje Te gerei»?

E ainda: «Eu serei para Ele um Pai

e Ele será para Mim um Filho»?

E de novo,

quando introduziu no mundo o seu primogênito, disse:

«Adorem-n’O todos os Anjos de Deus».

 

ALELUIA – JO 1,1-18

 

Aleluia. Aleluia.

Santo é o dia que nos trouxe a luz.

Vinde adorar o Senhor.

Hoje, uma grande luz desceu sobre a terra.

 

 

EVANGELHO – Jo 1,1-18

EVANGELHO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO JOÃO

 

No princípio era o Verbo

e o Verbo estava com Deus

e o Verbo era Deus.

No princípio, Ele estava com Deus.

Tudo se fez por meio d’Ele

e sem Ele nada foi feito.

N’Ele estava a vida

e a vida era a luz dos homens.

A luz brilha nas trevas

e as trevas não a receberam.

Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João.

Veio como testemunha,

para dar testemunho da luz,

a fim de que todos acreditassem por meio dele.

Ele não era a luz,

mas veio para dar testemunho da luz.

O Verbo era a luz verdadeira,

que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem.

Estava no mundo

e o mundo, que foi feito por Ele, não O conheceu.

Veio para o que era seu

e os seus não O receberam.

Mas, àqueles que O receberam e acreditaram no seu nome,

deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.

Estes não nasceram do sangue,

nem da vontade da carne, nem da vontade do homem,

mas de Deus.

E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós.

Nós vimos a sua glória,

glória que Lhe vem do Pai como Filho Unigênito,

cheio de graça e de verdade.

João dá testemunho d’Ele, exclamando:

«Era deste que eu dizia:

‘O que vem depois de mim passou à minha frente,

porque existia antes de mim’».

Na verdade, foi da sua plenitude que todos nós recebemos

graça sobre graça.

Porque, se a Lei foi dada por meio de Moisés,

a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.

A Deus, nunca ninguém O viu.

O Filho Unigênito, que está no seio do Pai,

é que O deu a conhecer.

 

Palavra da Salvação

Glória a vós Senhor

Share/Save/Bookmark