Reflexão 6º Domingo da Páscoa – Ano 2017
 
Reflexão 6º Domingo da Páscoa – Ano 2017
alt

Eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Defensor.

A Sagrada Escritura é fonte de revelação onde Jesus nos ensina e nos mostra as realidades que o Pai queria nos revelar. Temos também a Sagrada Tradição onde está muitas coisas reveladas por Deus e que não se encontram na Sagrada Escritura, mas é revelação.

Como observamos na primeira leitura, Felipe anunciou a Palavra e fez prodígios entre os Samaritanos, mas eles não tinham sido banhados pela presença do Espírito Santo e que Pedro e João oraram para que recebessem esta graça. Então o Batismo trás a graça da vida nova, mas para receber os dons espirituais para o serviço à Igreja é necessário outro momento. Que é o sacramento da Crisma, em que a pessoa já adulta, consciente, recebe um sacramento para estar a serviço da Igreja, neste momento recebe os dons do Espírito Santo para agir na implantação do Reino.

Mas o Espírito Santo é dinâmico e age da forma que lhe agrada – "O vento sopra onde quer; ouves-lhe o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece com aquele que nasceu do Espírito". (Jo 3,8) – Desta forma vemos Pedro na casa de Cornélio: "Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a (santa) palavra. [...] eles os ouviam falar em outras línguas e glorificar a Deus. Então Pedro tomou a palavra: Porventura pode-se negar a água do batismo a estes que receberam o Espírito Santo como nós? E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo [...]". (At 10, 44,48). Primeiro receberam o Espírito Santo e depois foram Batizados, não foi certamente o Sacramento da Crisma, mas uma unção que os levaram ao Batismo que é o primeiro sacramento da iniciação. O importante é vermos que Deus tem seus caminhos para nos levar a comunhão com Ele e podermos experimentar as bênçãos trazidas por Cristo.

Tudo isso, Deus está disposto a realizar em nós, para que possamos estar sempre prontos a dar razão da vossa esperança a todo aquele que pedir”. Isto é, de sermos testemunhas no meio dos homens e levá-los a esta mesma experiência. Todo evangelizado se torna um evangelizador. Ninguém que recebeu a vida nova pode ficar calado, é o caso da Parábola do tesouro escondido, da pedra preciosa, da pesca. (Mt 13,44-48) e da dracma (Lc 15, 8-9).

E Jesus, no evangelho, nos diz: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos,e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Defensor,para que permaneça sempre convosco”. O primeiro defensor é o próprio Jesus e Ele nos enviou o Espírito Santo para que caminhe conosco e habitando em nós como um Templo possa nos formar em outros “cristos”, vivendo a busca da santidade e do amor incondicional a Deus e ao próximo.

Cabe a nós, tomarmos consciência destas realidades e sermos dóceis ao Espírito Santo para que Ele possa nos levar ao testemunho da fé diante desta “geração má e perversa” (Fl 2,14-16). Somos embaixadores de Cristo (IICor 5,20) e Ele quer fazer de nós representantes do Reino, para que outros, ao nos verem possam se interessar a ser como nós – Cristãos.

Você tem sido esta referência para o mundo?

Antonio ComDeus

 


 

Reflexão do 6º Domingo da Páscoa - 21 de Maio de 2017

 

1ª Leitura - At 8,5-8.14-17

Impuseram-lhes as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.

 

Salmo - Sl 65,1-3a.4-5.6-7a.16.20 (R.1.2a)

R. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, cantai salmos a seu nome glorioso!

 

2ª Leitura - 1Pd 3,15-18

Sofreu a morte na sua existência humana, mas recebeu nova vida pelo Espírito.

 

Evangelho - Jo 14,15-21

Eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Defensor.

 

Share/Save/Bookmark